#28 Por que odiar bilionários

[e enaltecer as finanças da quebrada]

✌[hello mixtaper]

É difícil compreender a fortuna de um bilionário, não estamos acostumados a lidar diariamente com quantias tão grandes. Absurdamente grandes. Recebendo um salário mínimo por mês e guardando todo o dinheiro, um brasileiro precisaria trabalhar por 360 mil anos para juntar um bilhão de dólares.

Em meio à pandemia, o número de pessoas que atingiram essa marca em patrimônio no mundo bateu recorde. Segundo a revista Forbes, são 2.755 bilionários em 2021, 602 a mais do que em 2019.

A fortuna total também bateu recorde, chegando a cerca de 13 trilhões de dólares, uma alta de quase 50% em relação a 2019. No Brasil, o cenário é semelhante ao internacional: a riqueza combinada dos bilionários do país é a maior da história, com um valor que ultrapassa os 200 bilhões de dólares. O número em 2021 superou pela primeira vez o nível de 2014, antes da crise econômica brasileira. (Dados: Nexo Jornal)

“Ah mas Lia, existem bilionários que construíram sua fortuna do zero, eles tem todo o mérito…” eu sinceramente acho que precisamos rever o atual conceito de Meritocracia. Rita Von Hunty mergulha no tema aqui:

Um grupo de pessoas enriquecendo, em um momento de crise mundial sem precedentes, onde a fome e o desemprego se alastram: para você é…

( ) chocante / aviltante

( ) faz parte do sistema capitalista vigente

( ) insira uma terceira alternativa aqui que eu mesma nem sei

Espero que tenha entendido que “odiar bilionários” foi um recurso de copy e que o ódio é opcional. Já a consciência sobre a causa/consequência do aumento de fortuna em plena pandemia, não é opcional.

Vamos [tomar um Eno e depois ir] para as outras seções da Mixtape Newsletter:

👍 [um perfil]

Nath Finanças, a influenciadora financeira “da real”, de 22 anos, também cresceu sua influência na pandemia, por fazer conteúdo sobre finanças para população de baixa renda com dicas realmente praticáveis. Ela foi a única brasileira a integrar o ranking das 50 maiores lideranças do mundo da revista norte-americana Fortune divulgada essa semana. Maravilhosa!

🙌 [uma comunidade]

A cada hora se inventa um termo novo para designar uma geração. Os Millennials são as pessoas nascidas entre o período da década de 80 até o começo dos anos 2000. Pois o termo “da vez” é Geriatric Millennial: o grupo que nasceu entre 1980 a 1985. Esta microgeração se sente bem confortável com o ambiente híbrido analógico e digital, pois foi a primeira geração a ter o primeiro contato com computadores. Portanto, estaria mais apta a transitar entre os dois universos.

Prazer, sou Geriatric Millennial!

📱[ver, ouvir, ler]

Sobre ataques a escolas: Netflix está com um curta de animação belíssimo sobre o tema do luto de pais que perderam seus filhos. “Se algo acontecer… te amo". Não há uma só fala, e nem é preciso.

🃏 [sobre_humano]

Vamos para a leitura da semana? Você talvez tenha que tomar uma decisão importante e as consequências serão boas, o caminho é iluminado. Mas não demore muito a se decidir, pois a vida pede passagem e demanda coragem. Veja as cartas aqui.

😅 [eu ri]

No instagram do @paulovieira.oficial você acompanha a maravilhosa saga de Luisão e Pablo, respectivamente o pai do ator Paulo e o melhor amigo dele. Como esses dois caras se metem em confusão! E a mãe do Paulo tem papel fundamental nessa tríade.

🦊 [rapidinhas]

  • 7 respostas para perguntas importantes na pandemia - VEJA AQUI

  • 'Use tecnologia, mas nunca esqueça do potencial do ser humano' - VEJA AQUI

    Beijos de lux, até o próximo domingo!


    Gostou do que leu? Então divulgue em suas redes, chame mais pessoas para conhecer a Mixtape e me ajude a crescer organicamente!