#27 Morri um pouco essa semana

Um Dia das Mães em 2021

Essa semana foi pesada demais e eu desabei.

Mas durou pouco, porque é o que a vida tem demandado da gente: levanta e segue. Como li num post:

Vamos combinar de permanecer vivos para assistir a derrota desse verme.

Teve início a CPI da COVID-19, uma comissão parlamentar de inquérito que investiga ““supostas”” omissões e irregularidades do Governo Federal durante a pandemia no Brasil. Eu quero acreditar que, através dela, os responsáveis por mais de 400 mil mortes serão punidos, mas está difícil acreditar. E você, está “botando fé"?

Teve ataque a escola infantil em Santa Catarina. Mulheres e crianças morreram. Crime planejado e executado por um homem.

Teve ataque a comunidades tradicionais Carranca e Araça, no Baixo Parnaíba maranhense, com envenenamento por pulverização aérea: agronegócio.

Teve a morte do ator Paulo Gustavo, depois de 50 dias internado, lutando contra a COVID-19, em um momento onde já temos vacinas, mas que poderíamos ter tido lá no passado, não tivesse o verme recusado as compras.

Calma que ainda não acabou, teve a Chacina do Jacarezinho: operação da Polícia Civil do Estado do RJ até agora resultou na morte de 28 pessoas. A Chacina do Jacarezinho é a maior já ocorrida na cidade do Rio de Janeiro por policiais em serviço, desde a Chacina de Vigário Geral, em 1993, que resultou na morte de 21 pessoas. 

Um pequeno alento da semana foi a demissão do jornalista Diogo Mainardi. Esperança de que os disseminadores de ódio não serão impunes.


Eu não acredito em “separar política” dos assuntos de tecnologia e comportamento aqui da Mixtape porque tudo, absolutamente tudo, é político. Também não acredito em não-posicionamento, em “ficar calada para não entrar em conflito" ou perder seguidores. O Brasil está em chamas, caso não tenha percebido, anjo.

Tem uma newsletter diária (talvez você a assine) que vem crescendo bastante, e parabéns para eles, pois o conteúdo é de qualidade e bem produzido, só que acreditam em "não escolher um lado”, em não se posicionar. Você pode chamar isso de neutralidade jornalística, eu chamo de covardia. Eu deixei de seguir, pois fere o que acredito. Você pode e deve fazer o mesmo com a Mixtape, se ela te ferir. Com qualquer canal, aliás.

Um Dia das Mães atípico (ou a cara de 2021?)

Paulo Gustavo eternizou seu amor à sua mãe, Dona Déa, na personagem de Dona Hermínia. Hoje, há mães que estão longe de seus filhos, em isolamento, mas vivas. Há mães que partiram, e há filhos que partiram, deixando suas mães.

Essa tragédia em curso marcará para sempre nossa geração, e as consequências dessas marcas só serão realmente compreendidas em 10, 20 anos, por mais que futuristas tentem “antecipar o futuro” com análises de dados.

Que nesse Dia das Mães você possa abraçar a sua, via Zoom, fisicamente ou “no coração”. Que o sentimento de acolhimento e proteção, tão típicos da imagem da mãe, de alguma forma chegue até você.

Esta é uma edição sem as seções especiais. O dia pediu outro formato.

Até semana que vem, em nossa “programação normal”- e obrigada por permanecer aqui comigo!

Beijos de lux, até o próximo domingo!


Gostou do que leu? Então divulgue em suas redes, chame mais pessoas para conhecer a Mixtape e me ajude a crescer organicamente!